sábado, 7 de agosto de 2010

Dia 31 de Julho de 2010

Acordámos com a ideia de apanhar um ferry para Menaggio, mas como a nossa intenção neste dia era conhecer Milão, preferimos poupar esse tempo.
Partimos por outro "braço" do lago em direcção a Como, a maior terra das margens do lago.
Durante esse percurso tentámos descobrir a casa do George Clooney que fica na outra margem.
E para a minha amiga Diana aqui fica uma foto minha em frente a casa do George! :D



Chegados a Como, fizemos um pequeno passeio de carro pela cidade. É o local mais movimentado da zona, mas com pouco para ver.
Daqui partimos para Milão, onde tínhamos um tour marcado para conhecermos a cidade inteira.
O tour começou no Teatro La Scala, provavelmente a sala de ópera mais conhecida do mundo.



É lindissimo, mas infelizmente não nos deixar filmar nem fotografar.
O candeeiro era gigante e estava a ser arranjado.



Continuamos o tour em frente ao teatro, onde se encontra a câmara, uma estátua do Leonardo Da Vinci com alguns dos seus aprendizes e uma das entradas para as Galerias Vittorio Emanuele II.









Escusado será dizer que o Sérgio saiu de lá com um saco de compras MCPRADA.



As galerias foram construídas em homenagem ao primeiro rei de Itália e no centro delas encontra-se o brasão da família real.
Nas galerias foram construídas casas para habitação, das quais hoje em dia foram todas transformadas em escritórios, excepto uma que pertence a uma velhota que não sai de lá e paga uma renda baixíssima para viver na zona mais chique de Milão. Podem ver a casa da senhora mesmo lá em cima, a janela da casa está aberta e tem um vasinho no parapeito para lhe dar mais graça. :D



Mesmo ao lado das galerias está a catedral gótica de Milão, com 135 pinaculos e uma imponência incrivel.



Ao entrar na catedral sentimos um contraste de cor, percebemos que o interior era muito mais escuro. Apesar de os amteriais usados serem os mesmos dentro e fora da catedral, o tratamento não é o mesmo, isto é a parte interior da catedral não é limpa por falta de verbas.

Dentro da catedral está uma estátua representativa de São Bartolomeu, que foi esfolado vivo, segurando a sua propria pele.

Deparamo-nos ainda com uma estátua de um guerreiro que nada tinha a ver com a igreja. Ao que o guia nos disse, este guerreiro aos 16 anos matou um jovem da sua idade e pouco tempo depois tornou-se pirata do lago Como.
Tudo isto é muito estranho, como é que era possível um pirata ter lugar numa igreja????Pois bem, já na altura as cunhas funcionavam bem...não é que este pirata era irmão do papa pio 4???Pois é, vale a pena ter uma cunha!

Daqui fomos visitar o Castelo Sforesco. Foi aqui que Leonardo Da Vinci trabalhou durante 16 anos fazendo um pouco de tudo, desde organizar festas, pinturas, máquinas, pontes, barbeiro, etc...



Depois desta visita, fomos ver a Ultima Seia de Leonardo Da Vinci, à qual eu (Joana) insistentemente lhe chamava de sagrada familia. Infelizmente não deixavam tirar fotos!



É fabuloso, mas ao que nos disseram, ao longo dos séculos, quanto mais tentavam recuperar a obra, mais mal lhe faziam. Várias tentativas foram feitas para recuperar a obra, entre as quais foram usadas claras de ovos, oleo de figado de peixe, etc....É importanante referir que a obra se encontrava entre a cozinha e o refeitório da Igreja e entretanto foi aumentada a porta de passagem o que fez com que a obra fosse cortada e desta forma perdeu-se uma parte da pintura.

Foi um tour bastante importante porque fez com que conhecessemos toda a cidade de Milão, aprendemos imenso e se o fizessemos sozinhos não sabiamos metade das coisas que nos foram ditas.

Visto Milão estavamos de partida para Turim.
Ao chegar a Turim ficamos num hotel a cerca de 2km do centro, rodeado por bairros sociais muito manhosos, apesar de não termos nada a apontar ao hotel.
Mal chegamos ao hotel perguntamos à empregada a que horas fechava o restaurante do lado, ao que ela nos responde que os donos não eram "boas pessoas", por isso indicou-nos um restaurante nas redondezas.
Depois de muito caminhar lá encontramos o restaurante.
Devia ser o único restaurante "decente" daquela zona, mas mesmo assim era era grande coisa. Comemos no exterior, mesmo por baixo de um candeeiro e portanto havia muitos mosquitos, foi uma praga!
Terminava assim o nosso segundo dia de férias!



Sem comentários:

Enviar um comentário